Para ser considerado o meio de transporte mais seguro do mundo, os aviões passam por várias manutenções e testes antes de levantar voo. E para isso, é necessário contar com muita tecnologia e profissionais qualificados.

(imagem: mecânicos de plantão)

 

A manutenção de aeronaves é fundamental para manter o potencial de aeronavegabilidade e o desempenho dos aviões. No Brasil, quem é responsável por fiscalizar todo o setor aéreo é a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 

Você sabe como são feitas as manutenções de aeronaves? Existem alguns tipos de revisões, algumas de rotina e outras de análise profunda, todas executadas por mecânicos de manutenção aeronáutica e empresas certificadas pela Anac. Leia abaixo.

 

Manutenção de Aeronaves

 

A manutenção de aeronaves na prática é a intervenção, limpeza, inspeção ou verificações detalhadas das peças e sistemas em utilização. Tendo a finalidade de corrigir desgastes ou de prevenir ou detectar falhas de material ou deterioração do desempenho de sistemas, aumentando assim, o tempo útil das peças em utilização.

Cada fabricante de aeronave define em seu manual um programa preventivo. Lá é disponibilizado um programa de manutenção que deve ser seguido pelo comprador.

A manutenção tem o objetivo de permitir projetar e desenvolver sistemas e equipamentos que possam, sem afetar o desempenho ou características de segurança, ser mantidos no tempo mínimo. 

Além disso, também é importante manter o custo mínimo de recursos de suporte como por exemplo: mão de obra, ferramentas, instrumentos de teste, serviços contratados, entre outros.

Os principais tipos de manutenção que se aplicam a uma aeronave, peça ou sistema aeronáutico, são as manutenções preventivas.

A manutenção preventiva é programada com antecedência. Geralmente se faz em períodos pré-definidos. E tem a finalidade manter um determinado nível de funcionamento e segurança antes da manifestação de uma pane. 

Um componente, sistema ou a própria aeronave, deverão ser submetidos a manutenções com intervalos de tempo regular ou pré-definido. O limite de vida de uma aeronave, peça ou sistema pode ser definido em:

  • horas de funcionamento – (TBO – SLL – ON-CONDITION)
  • tempo de funcionamento (pelo calendário)
  • número de ciclos de operações

Os componentes controlados por horas de funcionamento se enquadram em três situações típicas:

TBO –Time Between Overhauls – tempo entre revisões – o componente deve ser removido e enviado à uma oficina homologada para revisão. Ele retorna ao serviço e pode cumprir outro período de utilização.

SLL – Service Life Limit – tempo limite de serviço – o componente deve ser removido, retirado de serviço, e sucatado.

On-condition – com verificação do estado – o componente deve ser monitorado periodicamente.

 

Acompanhe abaixo alguns outros tipos de manutenção de aeronaves.

 

Tipos de manutenção em aeronaves

 

De forma periódica devem ser realizadas manutenções nas aeronaves, sejam elas particulares ou de companhia. Existem quatro principais tipos de manutenções feitas em aviões comerciais: manutenção de Linha; manutenção de Hangar/Diária; manutenção de checks de letras: A, B, C; e a Overhaul ou Check D.

 

Manutenção de Linha

Essa manutenção em aeronaves acontece entre os voos com a finalidade de checar se está tudo bem para a próxima decolagem. Acontece durante o trânsito das aeronaves dentro do aeroporto.

 

Manutenção de Hangar

Essa é mais complexa do que a manutenção de linha, e acontece, normalmente, quando a aeronave tem um tempo de espera entre os voos superior a 6 horas. Nesse tipo de manutenção são feitos serviços e realizadas as revisões que exigem mais tempo.

 

Manutenção de checks de letras: A, B e C

Nesse tipo de manutenção em aeronaves são feitos serviços que demandam diferentes técnicos, exigindo o mecânico de aviação comercial, para cumprir as especificações de manutenção e registrar tudo.

A manutenção de checks de letras A, B e C também são chamados de “checks de rotina”, pois dependem diretamente das horas de voo da aeronave. Assim mesmo como funciona a revisão de um carro.A cada vencimento de um prazo, a manutenção deve ser refeita. 

Check A realizado aproximadamente a cada 400-600 horas de voo ou 200-300 ciclos (uma decolagem ou uma aterragem são consideradas um “ciclo” da aeronave), dependendo do tipo da aeronave. Esse tipo de manutenção precisa de cerca de 50-70 horas dos técnicos e é geralmente feita no chão em um hangar. 

Check B – realizado aproximadamente a cada 6-8 meses. Geralmente é concluída dentro de 1-3 dias em um hangar do aeroporto. E pode demandar aproximadamente 160-180 horas conjuntas da equipe de técnicos.

Check C – Isto é realizado aproximadamente a cada 20-24 meses ou uma quantidade específica de horas de voo reais ou ciclos, conforme definido pelo fabricante. O tempo necessário para completar tal verificação é de pelo menos 1-2 semanas e em média 6.000 horas de esforço da equipe técnica.

Overhaul ou Check D – Na manutenção do tipo Overhaul ou Check D, é feita uma perícia mais profunda na aeronave, também conhecida como Heavy Check. Dessa forma, o avião é totalmente desmontado e remontado para a manutenção e, inclusive, a pintura da aeronave é refeita, deixando-o como novo. Tal verificação geralmente pode levar até 50.000 horas e 2 meses para ser concluída, dependendo da aeronave e do número de técnicos envolvidos. 

Mecânicos de manutenção aeronáutica

 

Para se tornar um mecânico de manutenção aeronáutica é necessário concluir, com aproveitamento, um curso homologado pela ANAC. 

Existem algumas habilitações previstas (GMP, CEL ou AVI), disponíveis em escolas certificadas com cursos homologados pela ANAC. A duração aproximada do curso é de 13 meses para cada habilitação.

Existem três especialidades possíveis para obter habilitação:

  • GMP (Grupo motopropulsor) – Com esta especialidade o interessado estará habilitado a trabalhar com todos os tipos de motores de aviação geral (convencional ou a reação), todos os sistemas de hélices e rotores e com todos os sistemas dos grupos motopropulsores.
  • CEL (Célula) – Esta é a especialidade que trabalha com todos os sistemas de pressurização, ar condicionado, pneumático e sistemas hidráulicos. Também é nesta habilitação que o interessado poderá trabalhar na estrutura de aviões e helicópteros em geral, ou seja, a fuselagem da aeronave.
  • AVI (Aviônicos) – Esta habilitação permite que o interessado trabalhe em todos os componentes elétricos e eletrônicos de aeronave, inclusive instrumentos de navegação, rádio navegação e radiocomunicação, sistemas elétricos e de radar.

Pré-requisitos para a licença:

  • Ter completado 18 anos
  • Possuir Certificado de Conclusão o 2º grau (ensino médio)
  • Ter concluído, com aproveitamento, curso homologado pela ANAC
  • Ter sido aprovado em exame teórico da ANAC

 

Carreira na Aviação

 

Se você deseja começar sua carreira na aviação nosso parceiro AeroSimulados pode te ajudar. Uma ferramenta de simulados totalmente focada na aprovação de milhares de brasileiros no Exame Teórico da ANAC. Já são mais de 25.000 estudantes cadastrados e muitos depoimentos de aprovação.

No AeroSimulados o estudante pode adquirir um pacote de créditos para realizar os simulados, aumentando muito suas chances de aprovação. A base do AeroSimulados possui mais de 15 mil questões atualizadas, com base legal e desenvolvidas pelos melhores professores.

Além disso, a aprovação é garantida! Realizando ao menos 50 provas e sendo aprovado em 50% delas, o AeroSimulados garante a sua aprovação ou dinheiro de volta.

Com essa plataforma online você acessa e realiza as provas do simulado sempre que quiser. Dessa forma, otimizar os estudos fica muito mais fácil!

 

Conheça hoje mesmo a ferramenta que mais aprova no Teste Teórico da ANAC. 

 

 

Fontes:

 

Deixar uma resposta